Sign in

“Toda mulher é ensinada a não se sentir boa o suficiente”

Ela é legal, mas não é bonita;
Ela é bonita, mas é meio burrinha;
Ela é uma boa mãe, mas também “só” faz isso;
Ela é gente boa, mas é chata;
Ela não é uma boa dona de casa, mas trabalha muito talvez por isso não dê conta;
Ela tem o rosto bonito, mas é meio gordinha;
Ela é bonita, mas é meio sem graça na cama.

Mulheres são muito complicadas, dizem as misóginas, os homens, os machistas, as mulheres machistas e depois não entendem como podem existir negros racistas.
Daria um livro de centenas de páginas, talvez milhares, a quantidade de frases que colocam tudo que é da mulher como sendo difícil insuportável, inferior, imperfeitas para os "perfeitos homens".
Sobre o quanto não somos boas o suficiente para os homens, para o mundo.

E para os homens? Somos generosas demais em deixá-los confortáveis…“eles são infantis”; Eles não dão conta, eles precisam se afirmar, eles são assim, eles não fizeram por mal, eles precisam se afirmar, incluindo que eles ficam mais charmosos com cabelos grisalhos e podem ter barriguinhas. Somos generosas com eles e eles cruéis conosco.
Daria um outro livro as frases de compreensão e desculpas.

Violências físicas, psicológicas, financeiras, sexuais, corporais, em palavras que destróem a nossa autoestima, a liberdade, a nossa autoconfiança e que nos coloca em competições com todas as mulheres, em cada detalhe, o tempo todo.
Repressão, opressão e disputas que nos fazem lutar para agredir os nossos corpos uma vida inteira, tentando esculpi-los para serem aceitos.
Culpas e tristezas profundas por não “atendermos” às demandas dos “garotos” que desejam ser atendidos e não fazem nada por mal.

Quem nos coloca em comparação é o olhar masculino e quando isso é introjetado profundamente, isso passa fazer parte do mundo feminino. Isso é misoginia.

E a misoginia é o mais profundo, o mais violento, o mais enraizado de todos os preconceitos da humanidade. Talvez o patriarca do patriarcado.

Ele não é parte da história ensinada nas escolas e em como ele se legitimou. Não há uma linha sobre isso nos livros.

Ele deveria ser matéria obrigatória dentro do ensino, para que meninas pudessem compreender como esse mundo se tornou tão violento contra as mulheres.
Para libertar mulheres e fazer homens serem melhores humanos.
A gente é forte demais, mas estamos cansadas. É hora de lutar muito como uma garota e não tolerar mais nenhuma desculpa, nenhuma frase sobre nós.

E estejamos atentas:
Mulheres mães eduquem seus filhos homens para serem maduros e respeitosos, para não serem machistas, folgados, nem misóginos.
Mulheres pensem muito antes de criticar uma outra mulher. A não ser que ela seja muito machista.
Mulheres pensem antes de se criticarem pelo olhar masculino ou de mulheres misóginas.

Usem bastante a frase "só podia ser homem" para o machismo nas atitudes, nas frases, as atrocidades no trânsito, nas piadinhas, nas desculpas.

Deixemos o feminino ser motivo de orgulho em cor de rosa choque, azul na cor que quisermos. A misoginia está antes do feminismo e do machismo. O feminino como força incomoda tanto, que foi culturalmente construído como uma ameaça. Tanto que bruxas são geralmente figuras más e magos são figuras sábias e com boas magias.

cantora. Vive recolhendo detalhes para pensar — cantos, palavras dançam. Autora do Livro Eu e Meu lugar - coleção Eu vim da Bahia pela editora Caramurê

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store